quinta-feira, 28 de julho de 2011

Repassando - Mulher da página 194...

Vi esse post no blog Calma que estou com pressa e pedi permissão em passar o post adiante, não podia deixar de mostrar pra vcs, tudo porque sei o qto é frustrante a gente se cobrar por uma imagem que não temos, conheço mulheres profundamente deprimidas pela barriga, bumbum ou seios que detestam, frustração que muitas vezes deixa passar o que realmente vale a pena nessa vida ou seja deixam de ser realmente felizes por não serem esteticamente o que queriam ser...
Não tenho vergonha em dizer a vcs que achei a irmã quase gêmea da minha barriga e que sinceramente não me sinto envergonhada em dizer isso, não deixo de ser bonita ou atraente por não ter a sonhada barriga tanquinho ou sou infeliz por isso, não mesmo, sou uma mulher real, que ama tomar minhas cervejinhas pretas de vez em quando, comer pizza com meus filhos, ficar comendo besteiras na cama com maridão (qdo conseguimos ficar só nós dois, rs...) e assistindo tv, afinal tem coisa melhor do que tudo isso?
Claro que luto pra melhorar, aliás comecei a malhar novamente justamente pra isso, mas sei que essas minhas dobrinhas ou saliencias fazem parte da minha história, é onde meus filhos foram gerados, talvez consiga melhorar a forma que ela está hoje e claro que sonho em ter uma barriguinha bonitinha, mas me confortou ver essa foto, espero que vcs tbém se sintam aliviadas...

Bom olhem a foto e tirem suas conclusões, o que vcs veem qdo olham essa moça?



Mulher da página 194




Texto: Martha Medeiros


Ela é loira e Linda. Tem 30 anos. Modelo profissional. Saiu na última edição da revista Americana Glamour ilustrando uma reportagem sobre autoimagem, e foi o que bastou para causar um rebuliço nos Estados Unidos.. A revista recebeu milhares de cartas e e-mails. Razão: a barriga saliente da moça. Teor das mensagens: alívio. Uma mulher com um corpo real.

Não sei se Lizzie Miller, que ficou conhecida como a mulher da página 194, já teve filhos, provavelmente sim, devido à idade que tem.

Nós que temos conhecemos bem aquela dobrinha que se forma ao sentar. E mesmo quem não teve conhece também, bastando para isso pesar um pouco mais do que 48 quilos, que é o que a maioria das tops pesa. Lizzie não é um varapau — atua no mercado das modelos “plus size”, ou seja, de tamanhos grandes. Veste manequim 42, um insulto ao mundo das anoréxicas.

A foto me despertou sentimentos contraditórios. Por mais que estejamos saturados dessa falsa imagem de perfeição feminina que as revistas promovem, há que se admitir: barriga é um troço deselegante. É falso dizer que protuberâncias podem ser charmosas. Não são.

Só que toda mulher possui a sua e isso não é crime, caso contrário, seríamos todas colegas de penitenciária. Sem Photoshop, na beira da Praia, quase ninguém tem corpaço, a não ser que estejamos nos referindo a volume.Se estivermos falando de silhueta de ninfa, perceba: são três ou quatro entre centenas. E, nesse aspecto, a foto de Lizzie Miller serve como uma espécie de alforria.. Principalmente porque ela não causa repulsa, ao contrário, ela desperta uma forte atração que não vem do seu abdômen, e sim do seu semblante extremamente saudável. É saúde o que essa moça vende, e não ilusão.
Um generoso sorriso, dentes bem cuidados, cabelos limpos, segurança, satisfação consigo próprio, inteligência e bom humor: é isso que torna um homem ou uma mulher bonitos. Aquelas meninas magérrimas que ilustram editoriais de moda, quase sempre com cara de quem comeu e não gostou (ou de quem não comeu, mas gostaria), são apenas isso: magérrimas.. Não parecem pessoas felizes. Lizzie Miller dá a impressão de ser uma mulher radiante, e se isso não é sedutor, então rasgo o diploma de Psicologia que não tenho.
Ela merecia estar na primeira página, porque, mesmo tendo sido publicada na 194, roubou a cena!


Eu achei ela incrivelmente linda!!!
E vcs me digam sua opinião sobre o que leram e sobre a polêmica foto, espero vcs aqui, bjs Jana Cassis.

14 comentários:

  1. Olá! e a filhota,está melhor?

    sobre sua postagem,achei muito boa!!
    as pessoas tem uma visao q tudo é perfeito e sabem q nao é assim! Todos têm defeitinhos(eu tbm tenho uma barriguinha quase gêmea desta da foto! rsrrssr)

    Tbm acho q ela deveria estar na capa e com reportagem especial !

    Tbm na corrida pela barriga ! sequinha rsrsr a academia foi legal hj? eu acho q vou começar na segunda-feira.

    saúde e paz

    ResponderExcluir
  2. Jana Querida!

    Claro que me identifiquei com a moça, pois tenho três bebês lindos e meu corpo foi muito modificado devido às transformações hormonais. Até as estrias nas laterais do quadril são iguais as minhas (ashuahsaushaushaushau)!!!

    Adorei esse post e seu texto ficou lindo e muito real. Adorei o texto da Martha Medeiros também.

    Você conseguiu, mesmo de longe, me deixar feliz e tranquila hoje. rsrsrsr

    Beijão amiga.

    ResponderExcluir
  3. Oi Jana! Tudo bem?
    Lendo esse post (que achei ótimo), me lembrei de um outro post muito bom do blog "Depois dos 25" que fala também sobre a vaidade feminina e a aceitação de si mesmo.

    Link:
    http://depoisdos25masantesdos40.com/2011/07/ficou-mais-velha-ta-se-achando.html

    Não tenho certeza, mas acho que o texto não é da Martha Medeiros, se não me engano foi escrito por um jornalista para uma coluna jornalística internacional. Mas internet você sabe como é, nunca temos certeza da fonte! rsrs

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso o tema! E ela maravilhosa também. Concordo plenamente com o texto, uma barriga não muda completamente uma pessoa, e ninguem tem que ter vergonha do que é.
    Serve de espelho para que possamos entender que isso é felicidade de verdade, ser o que a gente é e se aceitar assim.

    ResponderExcluir
  5. É mais ou menos a mesma sensação que sentimos quando vimos a Ivete Sangalo mais fofinha,despreocupada com seus quilinhos a mais.
    Nós mulheres,principalmente as brasileiras,temos que desencanar e parar de ficar nos comparando com padrões que nem existem na vida real.
    Os homens são os primeiros a dizer que não gostam das magérrimas.
    Lógico que não acho que devamos nos descuidar,por uma questão de saúde e auto-estima.
    Mas ,essa escravidão a que somos submetidas não leva a nada.
    Já vi amiga minha que acabou de fazer lipo e colocar silicone nos seios ser trocada por outra que nem era mais bonita ou melhor que ela.
    Temos que ser amadas pelo que somos e não pelo que parecemos.
    Beijos e linda sexta-feira!

    ResponderExcluir
  6. Jana, adorei saber que vc encontrou a irmã gêmea da sua barriga, pq, sendo assim, descobri que somos irmãs tbm então rsrsrsrs... Minha barriga tbm é bem saliente e olha que eu nem tive filhos ainda!

    Eu já havia visto essa foto antes, pq ela circulou entre meus contatos do facebook, e eu a achei o máximo. Uma verdadeira carta de alforria SIM, mas acho tbm que ainda leva tempo até nós mulheres nos sentirmos verdadeiramente bem com nossos corpos e aparência. É mais uma questão de amadurecimento msm, eu acho, amadurecimento nosso e tbm da sociedade, que precisa parar de lançar e cobrar padrões exagerados de beleza e magreza.

    Outro ponto legal do texto é observar que a maioria das pessoas tem SIM uma barriguinha (ou barrigona em certos casos) saliente. Eu já havia percebido isso, até msm as que parecem magras têm barriguinha rs, mas que mal há nisso???

    Quem sabe um dia isso mude, né? O importante, na minha visão, é ter saúde, com barriga ou sem barriga! :)

    Beijosss :***

    ResponderExcluir
  7. Janinha, não estragou a maquiagem, não, só molhou um pouco, sabe? Mas como eu vi a tempo, garanti que o estrago não fosse maior.

    Beijossss :*

    ResponderExcluir
  8. Oi Jana eu ja a algum tempo tb havia lido esse texto de Martha Medeiros.

    qd li achei interessante, mas ai pensei... pobre da mulher que achar que a barriga ou os seios ou a bun é tudo na vida.

    assim como a escrita diz temos algo mais para mostrar como a inteligência e sabedoria e tantos outros requisitos, por exemplo, sou mulher mas admiro muito mulheres inteligentes e cultas,mulheres guerreiras, ja não gosto de ver certas mulheres todas bombadas , saradas barriguinhas chapadas e com uma cabeça vazia sem conteúdo e sem nada a acrescentar não é verdade?

    tb tenho uma barriguinha igual essa ai e nao me envergonho dela não, ja tive 4 gestações e tive proposta para fazer uma plástica num valor que podia pagar e nao fiz.

    acho que a mulher tem tantas maneiras de desenvolver e mostrar seus talentos inteligência seus poderes e requisitos e não se liga numa barriguinha saliente,e não é por isso que ela ira se sentir a menos diante de outras mulheres ou de outras pessoas, essa é minha opinião.

    Eu particularmente nao ligo pra minha barriguinha, só tenho o bom senso de nao colocar um micro biquíni na praia pra nao ficar deselegante e faço exercícios fisicos mas tenho conciencia que exercício físico no tira barriguinha, mas eu faço mesmo assim!

    bjus e mais bjus linda! doce noite pra vc vou indo mimi.

    ResponderExcluir
  9. é isso mesmo, hoje em dia com tanta foto retocada, a gente se acha um lixo, mas na verdade, todos temos nossos defeitinhos, risos.
    Eu aceito os meus numa boa, muita celulite, mas muita ideia boa na cabeça e uma profissional excelente.
    Os valores das pessoas anda deturpados, acreditar em Deus, ter uma boa educação, valores concebidos, estrutura e religião auxiliam muito na não aceitação do que a mídia nos coloca para "engolir".
    parabéns, o texto é lindo e merece repercussão, bjao
    vi

    ResponderExcluir
  10. Jana, como está sua princesa?
    Seu principe teve reação a vacina?
    Sabe que vendo a foto assim tenho a certeza que não sou um ET, afinal nós as mulheres de verdade temos barriga, pouco seio, as vezes d+ mas nunca perfeito como as siliconada, ou seio caido, estrias, celulites, cicatrizes e outras coisas mais...
    Temos que aprender a amar pois cada coisa que carregamos no nosso corpo tem um fato especial...
    Beijinhos
    Gezinha

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Passei para lembrar dos 2 sorteios que estão acontecendo lá no blog.Já deu uma olhadinha?Passa lá!
    Tem pincel Sigma e KIt Mococa!
    Links:
    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/07/1-sorteio-mococa.html
    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/06/4-sorteio-do-blog.html

    Abração
    Ale

    ResponderExcluir
  12. Oi Jana e sua filhota?
    Vim desejar saúde e paz
    *Aguardando sua agaradável visita em meu bloguito! rs

    Rosaina/RJ

    ResponderExcluir
  13. Oi Jana,
    Eu vir no blog da Lú.Muito interessante né?
    O importante é se sentir bem consigo mesmo.Bjos

    ResponderExcluir
  14. oi janaina
    adorei teu texto também, falou tudo - é muita cobrança porque na midia, novelas vemos aquelas ulheres exuberanes, mas tudo plástica todos os anos , até que gosari de fazer uma lipo - mas sei que depois volta - eu sou uma sanfona, engordo, emagreço, me cuido,me descuido, me amo, como, depois juro que vou fazer regime , faço abdominal um dia e no outro nem lembro... começo musuculação, enjooo, comeo a caminhar e juro que agora vai... e não vai... no dia seguite uma amiga me convida vamos pra tal lugar ...é óbvio que eu aceito na hora, viver é impescindivel, claro que não vamos nos deixar na obesidade, sedentarismo, por conta da saúde e da auto estima , mas vejo muita preocupaão exagerada quanto ao culto do corpo - e tb tenho esta barriguinha, as vezes menor, as vezes maior , mas as dobrinhas bem no local da cesarea - esta vai ficar para sempre ...e sejaos felizes assim
    bj
    lu

    ResponderExcluir

Obrigada por passar um tempinho comigo!
Seu comentário é muito importante para mim.
Bjs Jana Cassis.

"Não tenho culpa se meus dias têm nascido completamente coloridos e os outros cismam em querer borrar as cores. Não tenho culpa se meu sorriso é de verdade e acontece por motivos bobos, mas bem especiais. Não tenho culpa se meus passos são firmes. Não sou perfeita... Eu tropeço e caio de vez em quando, aliás, eu caio muito. Meus olhos... Tem brilhado bem diferente ultimamente. E brilham diferente a cada dia... e começo a me preocupar... pois tenho medo da velocidade dessas alterações... E no meu mundo mais lindo e completo não consigo entender a existência de algumas pessoas. Mas o mundo aqui não é dos mais justos mesmo... Compreendo. Mas mesmo assim, eu tenho bastante lápis de cor... Empresto pra quem quiser pintar a vida. Mas por favor... Não borrem a minha." Essa sou eu tentando colorir a vida... Beijos mil a todas!! Jana Cassis.